Artigos & Colunas

Opinião

“O médico pode salvar a vida, o advogado pode prolongá-la”

 
 
 

Segundo pesquisa feita pelo Sebrae em 2016, o número de pequenas e médias empresas que fecham as portas depois de 2 anos é relativamente alto. Poucas são as que conseguem prosperar, o que ocorre, principalmente, pela falta de planejamento e pelo desconhecimento da legislação.

Poucos gestores têm a real consciência de como a carga tributária pode impactar em seus negócios ou, ainda, como o passivo trabalhista pode ter efeitos bastante negativos no faturamento, principalmente quando as contratações e demissões são feitas sem observar as diretrizes legais.

Problemas relacionados à propriedade intelectual, elaboração de contratos, questões ambientais, entre outras, passam pela necessidade de uma adequação jurídica. Por isso, a advocacia preventiva é um investimento que pode afastar inúmeros riscos da atividade empresarial, além de, obviamente, diminuir os custos decorrentes dela.

MAS O QUE É ADVOCACIA PREVENTIVA?

A advocacia preventiva — também chamada de assessoria jurídica preventiva —, consiste na contratação de um escritório especializado para prestar serviços de forma contínua para toda e qualquer questão jurídica relacionada ao dia a dia da empresa.

Organizações de qualquer ramo ou porte devem lidar com temas ligados à lei na sua rotina e o apoio de um especialista será um grande diferencial para o sucesso empresarial. Isso se aplica na elaboração de contratos com fornecedores, na contratação ou demissão de colaboradores, na restituição ou pagamento de impostos, na alteração do quadro de sócios, na mediação de divergências societárias ou ao negociar com o Poder Público e muitas outras situações. 

Um exemplo de como uma empresa pode dividir os investimentos na área jurídica pode ser visto no gráfico abaixo, do empreendedor Tallis Gomes, CEO e fundador das empesas Easy Taxi, Singu e G4:

 Reprodução Instagram @tallisgomes 

BENEFÍCIOS DO PREVENTIVO

Muitos empreendedores analisam apenas o valor dos honorários antes de contratar um escritório ou um profissional da área jurídica. Isso faz com que esses indivíduos acreditem que investir na advocacia preventiva é um custo elevado.

Entretanto, buscar um profissional da área jurídica apenas quando os problemas acontecem é um erro grave e que pode gerar um grande desequilíbrio financeiro ao negócio. A empresa precisará enfrentar problemas judiciais que poderiam ter sido evitados. É a partir dessa lógica que a advocacia preventiva consiste no tipo de contratação com melhor custo-benefício.

CONCLUSÃO

Toda empresa precisa de recursos para crescer, mas o suporte jurídico preventivo é imprescindível para garantir os lucros e o equilíbrio financeiro.

Viver para apagar incêndios é algo que não compensa para a empresa financeiramente, especialmente para quem deseja tornar seu negócio mais próspero.

Empresas que querem aprimorar seus produtos e serviços precisam de recursos e foco no core business. Para alcançar esse objetivo, é essencial ter o auxílio de um escritório que preste advocacia preventiva.

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Fonte: Lázaro Pessoa - advogado empresarial

Mais de Artigos & Colunas