Artigos & Colunas

Fundos imobiliários

Construção civil e fundos imobiliários: diferentes resultados na pandemia

Preço dos insumos da construção disparou, enquanto vários fundos imobiliários são negociados próximos de seus valores mínimos

 
 
 

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Economia (FGV IBRE), “o Índice Nacional de Custo da Construção – M (INCC-M) subiu 1,80% em maio, percentual superior ao apurado no mês anterior, quando o índice variara 0,95%. Com este resultado, o índice acumula alta de 6,92% no ano e de 14,62% em 12 meses. Em maio de 2020, o índice variou 0,21% no mês e acumulava alta de 4,14% em 12 meses. A taxa do índice relativo a Materiais, Equipamentos e Serviços passou de 1,88% em abril para 2,58% em maio. O índice referente à Mão de Obra passou de 0,01% em abril para 0,99% em maio” .

 

O IBRE divulgou uma tabela que mostra a disparada nos preços dos materiais de construção:

 

 

A gestora do fundo imobiliário Habitat Recebíveis Pulverizados (B3: HABT11), também fez um estudo em que mostra a inflação nos insumos da construção em 2020 , veja:

 

Construir imóveis, portanto, ficou bem mais caro nesse período de pandemia.

 

Por outro lado, muitos fundos imobiliários estão sendo negociados na Bolsa com valores muito próximos aos mínimos das últimas 52 semanas, como mostra a tabela abaixo, elaborada pelo investidor Filipe Pedra (Instagram/Twitter: @investindoemfii), na qual podemos ver a cotação de 12 fundos do segmento de lajes corporativas (escritórios):

 

 

Inspirado por esse estudo, pesquisei o segmento de shopping centers e constatei algo bem semelhante: muitos fundos cotados em valores bem próximos aos mínimos das últimas 52 semanas (ou, pelo menos, ainda longe dos máximos). Veja:
 

 


Conclusão: embora se trate de comparação de dados que não se relacionam entre si diretamente (custos de construção x valor de mercado dos fundos imobiliários), é muito didático observar que, enquanto ficou mais caro construir um imóvel, está mais barato investir neles via fundos imobiliários.
 

E nem estou considerando aqui outras questões como ausência de preocupação com as “dores de cabeça” típicas da construção, ou o padrão do imóvel que uma pessoa física comum é capaz de construir, que é bem menor do que o padrão dos shoppings ou lajes corporativas que pode acessar via fundos imobiliários.
 

Esse é apenas mais um exemplo da eficiência que os fundos imobiliários proporcionam para o investidor que pretende receber uma renda passiva com imóveis.
 

Viu esse texto na nossa coluna aqui no site Piauí Negócios, mas não conhece os fundos imobiliários? Então dá uma olhada no meu livro, que está disponível na Amazon: https://amzn.to/3k6qDAd
 

Destaco que este é um conteúdo meramente informativo, que não deve ser entendido como recomendação de investimento/desinvestimento. Se você busca recomendações e quer acompanhar mais notícias dos fundos imobiliários, conheça a área de membros do site TICKER 11 e adquira um combo contendo: curso completo de Fundos Imobiliários + acompanhamento de mercado + carteira recomendada de FIIs e ações. Saiba mais: https://go.hotmart.com/R52546888K
 

 

[1] Fonte: https://portalibre.fgv.br/sites/default/files/2021-05/incc-m_fgv_press-release_mai21.pdf

[1] Fonte: Relatório gerencial HABT11, abril 2021. Disponível em: https://habt11.habitatcp.com.br/Download.aspx?Arquivo=3RFrdj/UJ0TSM6PUCj9cuQ==

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Fonte: João Ricardo Imperes Lira - investidor

Mais de Artigos & Colunas