Carreira & Gestão Pública

Transporte

Operando com 2% da capacidade, Aeroporto de Parnaíba será cedido à iniciativa privada

Desafio da PPP é promover crescimento de 14 mil para 500 mil passageiros por ano até 2050

 
Aeroporto de Parnaíba recebe hoje 14 mil passageiros anuais (Fotos: divulgação)

 Aeroporto de Parnaíba recebe hoje 14 mil passageiros anuais (Fotos: divulgação)

 
 

Apesar de ser localizado no segundo maior município do Piauí e porta de entrada do Delta do Parnaíba, o Aeroporto Dr. João Silva Filho, em Parnaíba, recebe um fluxo muito pequeno de passageiros.  São apenas 14 mil passageiros por ano, o que equivale a menos de 2% da capacidade de 800 mil passageiros. Atualmente, o terminal recebe apenas dois voos semanais, da Azul, ligando Parnaíba a Campinas (SP).

 

Para transformar a realidade do aeroporto e turbinar o turismo, o comércio e indústria de Parnaíba, o Governo do Estado optou por uma parceria público-privada. Estão previstos investimentos de R$ 112 milhões na infraestrutura e modernização do terminal e uma gestão de mercado, de forma que em 2050 o número de passageiros chegue a 500 mil, 35 vezes do que o fluxo atual.

 

Na semana passada, a Superintendência de Parcerias e Concessões (Suparc) e acompanhado pela Secretaria da Aviação Civil do Governo Federal, realizou duas audiências públicas, uma em Teresina e outra em Parnaíba, para apresentar à sociedade os resultados dos estudos da PPP.

 


Leia mais

Azul volta a operar em Parnaíba a partir de dezembro

 

Afetado pela segunda onda da covid, turismo terá R$ 500 milhões do Fungetur


 

A licitação para escolha da nova concessionária do aeroporto que ficará responsável pela gestão do terminal durante 32 anos, acontecerá no próximo mês.

 

“Esse projeto é extremamente importante para o turismo nessa região. Estamos focando na modernização da infraestrutura do aeroporto e promover melhorias na prestação dos serviços sobretudo para o usuário, desenvolvendo várias cadeias produtivas e fomentar o crescimento da economia local”, comentou a superintendente da Suparc, Viviane Moura.

 

Com a concessão, a proposta é que os investimentos atraiam companhias aéreas e melhore o fluxo de passageiros. O novo gestor do aeroporto vai aproveitar o potencial turístico de Parnaíba, com diversos polos geradores de viagem como universidades, hospitais, centros de tecnologia e área de produção agrícola e industrial.

 

“Parnaíba é um ponto turístico que se destaca no cenário internacional, sendo um destino bastante procurado para inclusive o turismo do esporte, principalmente com relação ao kitesurf”, ressaltou Carina Câmara, superintendente de Turismo da Secretaria de Turismo do Piauí (Setur). Ela lembrou ainda que, no Brasil, é o terminal mais próximo da Europa, com apenas seis horas de voo.

 

Superintendente da Suparc, Viviane Moura diz que a PPP vai desenvolver a economia de Parnaíba

 

O aeroporto tem ainda potencial de ser um centro de distribuição de cargas, considerando sua localização central em relação a outras grandes cidades do Nordeste. Também está próximo de uma zona de processamento de exportação (ZPE) e pode ser utilizado na importação de insumos, assim como na exportação da produção, e algumas cargas poderiam ser movimentadas até o aeroporto, como farmacêuticos e outros produtos com valor agregado elevado.

 

“A PPP do aeroporto de Parnaíba é uma solução integrada para melhorar o polo turístico, criar um centro de negócios, ser um ponto de desenvolvimento social e fomentar a aviação regional”, destacou Rodolpho Oliveira Santos, responsável pelos estudos do projeto. Ainda nessa projeção, a receita anual para o aeroporto em 2050 está estimada em R$ 16,69 milhões.

 

Vitor Hugo, presidente da Investe Piauí, agência de investimentos estratégicos criada pelo Governo para atrair capital ao Piauí, participou da primeira audiência pública da PPP, ocorrida na segunda-feira, dia 12, em Teresina. “Entre nossos primeiros projetos, temos três voltados para investimento em Parnaíba, devido ao grande potencial da região. Especialmente o projeto do aeroporto, por exemplo, que abrange 300 metros de extensão da pista que pode ser usada como aeroporto de carga. Ceará e Maranhão não têm aeroporto próximo a ZPE, então o Piauí já se destaca nesse ponto”, destaca Victor Hugo.

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Mais de Carreira & Gestão Pública