Pesquisas

Injeção de recursos

Apesar da pandemia, arrecadação no Piauí cresceu 4% em 2020

Economista atribui resultado ao maior consumo das famílias, principalmente no varejo e atacado

 
Queda na arrecadação foi sentida logo em abril e maio de 2020, mas depois subiu e ultrapassou 2019

 Queda na arrecadação foi sentida logo em abril e maio de 2020, mas depois subiu e ultrapassou 2019

 
 

Apesar da pandemia do coronavírus, o Piauí registrou em 2020 um aumento de 4,24% na arrecadação própria, puxada principalmente pelo crescimento de arrecadação de ICMS - Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviço, em comparação ao ano anterior.

 

Dados do Conselho Nacional de Política Fazendária mostram que em 2020, a arrecadação própria do Estado foi de R$ 5,37 bilhões, contra os R$ 5,15 bilhões do ano anterior. Já quando se compara apenas os dados de ICMS, o crescimento é de 5,39%, levando a arrecadação de R$ 4,48 bilhões em 2019 para R$ 4,73 bilhões em 2020. 

 

Os resultados surpreendem porque a pandemia, iniciada em março, afetou diretamente a economia. Muitos setores do comércio, indústria e serviços tiveram que interromper os serviços por vários meses, para obedecer aos protocolos de segurança e distanciamento social a fim de barrar da transmissão do novo coronavírus.

 

 

A explicação pelo aumento da arrecadação, e não para redução, de acordo com o economista Márcio Braz, da Método Consultoria Econômica, é o aumento do consumo das famílias.  “Podemos dizer que o aumento do consumo se destaca. Quando olhamos os setores, por exemplo, vemos que o ICMS atacadista e varejista aumentou, enquanto o combustível e o petróleo diminuíram. A energia aumentou muito pouco. Reflexo das alterações da pandemia”, afirma o economista.

 

Segundo ele, as famílias conseguiram manter o nível de consumo e até aumentar, e isso só ocorreu por causa da manutenção de renda, que no caso da pandemia, foi assegurado pelo auxílio emergencial e outras medidas.

 

De acordo com o Ministério da Cidadania, 40% da população do Piauí, cerca de 1,4 milhão de pessoas foram  beneficiadas com o auxílio emergencial. Nos três primeiros meses, com o confinamento, o consumo das famílias foi direcionado aos supermercados, mas logo em seguida dispararam também as compras online. A partir de julho, com a reabertura das atividades econômicas presenciais, indústria, comércio e serviços tiveram alta.

 


Leia mais

Pago a 40% dos piauienses, auxílio emergencial aquece o comércio

 

Piauí tem melhores números no varejo desde 2015, segundo o IGet

 

Produção da indústria piauiense ultrapassa a do período pré-pandemia


 

Durante 2020, na comparação com 2019, os meses de janeiro a março tiveram mais arrecadação no ano passado do que anterior, mas em abril e maio, com o fechamento 100% das atividades econômicos, 2020 teve desempenho pior que 2019, voltando a ultrapassar a junho, caindo em julho e se recuperando daí em diante, até registrar a maios diferença em dezembro, quando foram arrecadados R$ 543,7 milhões em 2020 contra R$ 400,8 milhões em 2019.

 

Alguns setores cresceram muito acima da média, como o varejo, que cresceu 15,5% em 2020 no Piauí, o melhor resultado desde 2015, segundo o Índice Getnet de Vendas do Comércio Varejista Brasileiro (IGet), medido pelas transações das máquinas da Getnet, empresa de tecnologia do grupo Santander, em 150 mil estabelecimentos comerciais do País.

 

Em nível nacional, a arrecadação própria dos estados também subiu em 2020, registrando um alta de 1,68% em relação a 2019 (veja gráfico abaixo).

 

 

 

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

 

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINDEKDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

 

Mais de Pesquisas