Pesquisas

Pandemia

Varejo do Piauí sente o fim do auxílio e recua 11,6% em janeiro

Sem o auxílio emergencial pago a 1,3 milhão de piauienses em 2020, somente artigos farmacêuticos não registraram queda

 
O segmento de material de escritório foi o que mais recuou em janeiro: - 25,9%

 O segmento de material de escritório foi o que mais recuou em janeiro: - 25,9%

 
 

Depois de ter alavancado as vendas do comércio piauiense em 2020, o auxílio emergencial começou a fazer falta em 2021. Em janeiro, primeiro mês em que o benefício deixou de ser pago, o varejo no Piauí recuou 11,6% em relação a dezembro. Os dados são do Índice Getnet de Vendas do Comércio Varejista Brasileiro (IGet), medido pelas transações das máquinas da Getnet, empresa de tecnologia do grupo Santander, em 150 mil estabelecimentos comerciais do país.

 

A queda aconteceu em todo o Brasil, onde a média foi de -10,9% em janeiro. Mas os piores resultados foram nos estados do Norte e Nordeste: Rio Grande do Norte (-19,7%), Pará (-19,4%), Amazonas (-19%), Amapá (-14,3%), Tocantins (-12,1%) e Piauí (-11,6%). A explicação é simples: nesses estados, a proporção de consumidores que recebeu o auxílio emergencial é maior do que nas demais regiões.

 

 

No Piauí, por exemplo, 40% da população recebeu o auxílio emergencial, que pagou valores entre R$ 300 e R$ 1.200 de abril até dezembro. São 1,3 milhão de consumidores que entraram 2021 sem esse empurrão do Governo Federal. Consequentemente, as vendas no varejo caíram.

 

Todos os segmentos que o iGet avalia sofreram queda, exceto Artigos Farmacêuticos, que teve crescimento de 2,7%. Vestuário e Materiais para Escritório tiveram as maiores baixas, de 25,6% e 25,9%, respectivamente. No conceito ampliado, Materiais de Construção fechou com -6,1% e Partes e Peças Automotivas, com -2,5%.

 

A desaceleração do mercado já era prevista por economistas ouvidos em outubro pelo Piauí Negócios. Fernando Galvão citou a forte influência do benefício da renda das famílias, “principalmente num cenário de alto desemprego, alta informalidade no mercado de trabalho e preços elevados de itens básicos de consumo, sobretudo das camadas de mais baixa renda”.

 


Leia mais

Fim do auxílio emergencial gera incerteza para economia do Piauí em 2021

 

Pago a 40% dos piauienses, auxílio emergencial aquece o comércio

 

Piauí tem melhores números no varejo desde 2015, segundo o IGet


 

Gustavo Bahia, vice-presidente de Finanças da Getnet, também esperava o recuo. “Os números confirmam nossa expectativa de que as vendas sofreriam os efeitos do fim do benefício fiscal, assim como mostrou o quarto trimestre de 2020, quando houve redução e, consequentemente, desaceleração do consumo das famílias”, comenta.

 

Lucas Maynard, economista do Santander, avalia que a queda condiz com um cenário previsto de retração da atividade econômica neste primeiro trimestre, impactado também pelo recrudescimento da pandemia.

 

Auxílio emergencial deve voltar em  março

 

Apesar da queda no primeiro mês do ano, Gustavo considera que o cenário pode melhorar. “Alguns fatores poderão contribuir para reversão deste cenário, como o avanço da vacinação, o fim das restrições das atividades e um possível retorno de incentivos fiscais que está em discussão”, diz.

 

Após sofrer muita pressão dos governadores, o presidente Jair Bolsonaro admitiu que pode voltar a pagar o auxílio emergencial, mas com valor e período menores do que 2020. Além disso, menos pessoas seriam beneficiadas. Em nível estadual, o Governo do Piauí anunciou que pagará, a partir de março, um auxílio emergencial de R$ 200 mensais para 8 mil famílias piauienses que vivem na extrema pobreza no estado, mas não recebem nenhum benefício do Governo Federal, como o Bolsa Família por exemplo.

 

Metodologia do IGet

 

O indicador IGet utiliza informações de transações no mercado de adquirência nacional e tem o intuito de ampliar o conjunto informacional para análise da trajetória da atividade econômica no Brasil. O método é o same store sales (vendas de uma mesma loja) a cada dois meses.

 

Sobre a Getnet

 

A Getnet é uma empresa de tecnologia do grupo Santander que oferece um portfólio completo de produtos e serviços de meios de pagamentos, com tecnologia de ponta que permite a integração com todos os meios de captura. 

 

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

 

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

 

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

                                           

TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

 

LINDEKDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Fonte: Santander

Mais de Pesquisas