Carreira & Gestão Pública

Covid-19

IFPI convida servidores para serem voluntários na produção de álcool em gel

A entidade está convidando servidores para auxiliarem na produção de novo lote, que deve iniciar a partir do dia 18

 
Equipe e produção de álcool gel 70% no Instituto Federal do Piauí

 Equipe e produção de álcool gel 70% no Instituto Federal do Piauí

 
 

O Instituto Federal do Piauí (IFPI) já produz álcool gel para fornecer à Rede Pública de Saúde do Estado como ação de prevenção da Covid-19. A partir do dia 18 deve iniciar a produção de novo lote e, com isso, a entidade está convidando servidores para auxiliarem de forma direta ou indireta em todo o processo.

 

O servidor interessado pode se inscrever por meio de um cadastro, com link abaixo, e aguardar a convocação. São feitos questionamentos sobre a área de formação, se possui experiência em laboratório, além de informar os dias e turnos nos quais poderá colaborar.

 

Será fabricado de álcool glicerinado 70%, com insumos adquiridos com recursos financeiros oriundos do Ministério da Educação, por meio da Secretaria de Educação Tecnológica exclusivos para ações de combate ao Covid-19. A coordenação no IFPI o fabrico é coordenado pela Pró-reitoria de Pesquisa, Pós-graduação e Inovação – PROPI.

 

Os servidores voluntários serão cadastrados e serão convocados, na medida em que houver necessidade. A produção será realizada na cidade de Teresina, nos prédios "A" e "B" do Campus Teresina Central, sob à Coordenação dos professores Gilvan Moreira da Paz e Jurecir da Silva, a partir do dia 18.

 

Em agosto o IFPI iniciou a produção de álcool com os primeiros recursos e apoio de pessoal de uma Igreja Evangélica. A expectativa foi produzir mais de 5 mil litros e repassar a unidades e órgãos gestores de saúde do Estado e municípios.

 

Etapas da fabricação

 

Para produzir o álcool em gel precisa-se de um espessante, de uma determinada quantidade de água e álcool 96%. A primeira etapa consiste na mistura do espessante com o álcool, que será agitado. Em seguida, adiciona-se água e deixa-se por um determinado tempo sob agitação.

 

A segunda etapa consiste na aferição, já que é preciso garantir que o álcool alcançou a medida estabelecida pela Anvisa, que é de 70%, podendo variar entre 68, 72 e 75 por cento.

 

A terceira etapa é o envasamento. No Campus Teresina Central os primeiros armazenamentos foram realizados em frascos de 500ml. Depois passou-se para frascos de 5 litros e atualmente trabalha-se com frascos de 2 litros que são encaixotados e, em seguida, doados para instituições.

 

Link para inscrição:

 

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdQi9FbG5AUEcPjZEsAoZSupX-SP72h7v45v18Wt7arqgvjwg/viewform

Fonte: IFPI

Mais de Carreira & Gestão Pública