Comércio & Serviços

Investimento

Banco do Nordeste disponibilizará R$ 2 bilhões para pequenas empresas do Piauí

Recurso do FNE atenderá mini, micro, pequenos e médios empreendimentos

 
O empresário Antônio Alves fez um empréstimo para investir nos negócios

 O empresário Antônio Alves fez um empréstimo para investir nos negócios

 
 

O Banco do Nordeste anunciou que disponibilizará R$ 2 bilhões de orçamento em 2021 para operações de crédito para mini, micro, pequenas e médios empreendimentos do Piauí. O valor corresponde a 9,1% do total do recurso que o Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) investirá em todo o Nordeste, além de Minas Gerais e Espirito Santo – R$ 24,1 bilhões.

 

A decisão foi do Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), que aprovou também diferenciais na linha FNE Saúde, que permite aquisição de unidades hospitalares construídas ou em construção, ampliando o prazo para até 20 anos, e ampliou o limite de financiamento para microempreendedores individuais, de R$ 35 mil pra R$ 50 mil.

 

Para o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim, “o compromisso do BNB é aplicar todo o orçamento do FNE, contribuindo para que surjam novos empreendimentos na Região e para que os já existentes alavanquem seus negócios, mantendo a renda e os empregos da população”.

 

O Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste foi criado em 1989, com o objetivo de financiar o setor produtivo regional, com taxas de juros diferenciadas, contribuindo para redução das desigualdades regionais.

 

R$ 3,3 bilhões em 2020

Em 2020, o Banco do Nordeste aplicou R$ 3,3 bilhões no Piauí, perfazendo mais de 563,4 mil contratações. Dessas, 489,8 mil operações foram realizadas pelo Crediamigo, que destinou cerca de R$ 1,3 bilhões para microempreendedores piauienses.

 


Leia mais

Ex-caminhoneiro viraempresário após começar com pequenos empréstimos


 

Por meio do FNE, o alcance foi de R$ 1,8 bilhão aplicado no Estado. No âmbito do Pronaf, o volume contratado atingiu R$ 394 milhões, dos quais R$ 331 milhões foram aplicados pelo programa de microcrédito rural, Agroamigo. Já as MPEs piauienses foram beneficiadas com R$ 327,1 milhões em volume de crédito.

 

Um dos empresários beneficiados com o Crediamigo foi Antônio Alves, ex-caminhoneiro. Há oito anos, usou o primeiro empréstimo de apenas R$ 950,00, para montar uma loja de material de construção. “O dinheiro do primeiro empréstimo foi usado para eu poder comprar mais barato, pois com recursos na mão, eu tinha poder de barganha junto aos fornecedores. Eu lembro que comprei várias caixas de descargas para fazer volume na loja", conta o empresário.

 

Antônio Alves explica que a facilidade para obtenção do crédito foi importante para o sucesso do negócio. “Eles não exigem comprovação de renda e apostam na ideia que você tem. Além disso, os juros sempre foram atrativos, tanto que já fiz vários outros 11 empréstimos no Crediamigo”, comenta. Para ele, o empreendedor precisa de facilidades e apoio como a que o Crediamigo oferece para poder investir. Somado a isso, o empresário apostou em atendimento mais rápido, eficiente, prazo na hora do pagamento para os clientes e um tratamento diferenciado.

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINDEKDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Fonte: Bando do Nordeste

Mais de Comércio & Serviços