Carreira & Gestão Pública

Eles chegaram lá

Ex-sacoleira e ex-caminhoneiro do Piauí viraram empresários após começarem com pequenos empréstimos

Para Gilcilane e Antônio Alves, a facilidade e rapidez na obtenção do crédito os estimularam a empreender

 
A Mais Construção, loja de Antônio Alves, ex-caminhoneiro e agora empresário

 A Mais Construção, loja de Antônio Alves, ex-caminhoneiro e agora empresário

 
 

Imagine uma sacoleira e um caminhoneiro cujo pontapé para arriscar no meio empresarial foram empréstimos bancários de apenas R$ 1 mil e hoje são empresários de sucesso? A história que o Piauí Negócios vai contar a partir de agora mostra como foi possível, mesmo com pouco dinheiro, mas muita vontade, os dois mudarem de vida graças a um pequeno investimento inicial.

 

Antônio Alves era caminhoneiro há 8 anos quando decidiu aumentar a renda vendendo confecções, junto com a esposa, de porta em porta por vários bairros da cidade. Apesar de conseguir um bom retorno com a nova função, resolveu mudar de ramo quando soube que o Banco do Nordeste estava oferecendo crédito em valores pequenos, com juros menores do que os do mercado e sem burocracia.

 

Antônio Alves explica que a facilidade do crédito do Crediamigo foi importante para tocar o negócio 

 

Com economias que tinha e aproveitando um terreno que o pai possuía na BR 343, na saída leste de Teresina, Alves usou o valor do pequeno empréstimo, de apenas R$ 950,00, para montar uma loja de material de construção. Várias casas estavam sendo construídas na região e Alves percebeu que ali era uma oportunidade de um negócio. “O dinheiro do primeiro empréstimo foi usado para eu poder comprar mais barato, pois com recursos na mão, eu tinha poder de barganha junto aos fornecedores. Eu lembro que comprei várias caixas de descargas para fazer volume na loja", conta o empresário.

 

Antônio Alves explica que a facilidade para obtenção do crédito foi importante para o sucesso do negócio. “Eles não exigem comprovação de renda e apostam na ideia que você tem. Além disso, os juros sempre foram atrativos, tanto que já fiz vários outros 11 empréstimos no Crediamigo”, comenta. Para ele, o empreendedor precisa de facilidades e apoio como a que o Crediamigo oferece para poder investir. Somado a isso, o empresário apostou em atendimento mais rápido, eficiente, prazo na hora do pagamento para os clientes e um tratamento diferenciado.

 


Leia mais

Pandemia: 8 em cada 10 empresas no Piauí pediram empréstimo de até R$ 30 mil

 

Grandes empresas ficam com 57% dos empréstimos; pequenas, com 8%

 

Convênio entre Piauí Fomento e Sebrae permite empréstimo com menos garantias


 

Antônio Alves também está sempre atento às necessidades do cliente. Pouco tempo atrás ele fez uma reforma na loja onde, para não fechar e deixar seus clientes sem o atendimento, construiu uma nova loja dentro da outra. A ampliação deu oportunidade a ter mais visibilidade e com isso turbinou suas vendas.

 

Hoje, Antônio Alves tem uma das maiores lojas de região com uma diversidade de materiais e equipamentos, a Mais Construção. "Tudo feito com muito esforço e trabalho", conta ele, que já está ampliando o negócio, com a construção de uma fábrica de blocos de concreto. Somando as mercadorias e equipamentos, ele avalia seu patrimônio hoje em cerca de R$ 2 milhões. Nada mal para quem já foi caminhoneiro.

 

História parecida com a de Antônio Alves foi a de Gilcilane Rodrigues Nunes, moradora do bairro Cidade Leste, ina zona leste de Teresina.  Há 15 anos, ela e marido, Jeferson Sobral vendiam confecções com para sustentar a família. Juju, como é conhecida, era sacoleira e atendia em toda a região onde morava.

 

Ao tomar conhecimento do Crediamigo através de uma panfletagem no bairro, resolveu fazer um empréstimo (o primeiro foi de R$ 1.050, na época). Com um pouco de capital, ela alugou um pequeno ponto comercial na avenida principal do bairro onde reside. Assim, nasceu a Juju Magazine, hoje uma das maiores lojas de confecção no bairro. Seu maior diferencial é a renovação de estoque de mercadorias todas as sextas-feiras e preços bastante atrativos.

 

A Juju Magazine permitiu que Gilcilane realizasse vários sonhos

 

“Pra iniciarmos o negócio, poderíamos ter recorrido a qualquer banco, mas as taxas do Credamigo eram as melhores e o processo foi muito rápido. Com apenas uma semana depois de procurarmos o banco, já estávamos com o dinheiro na conta”, afirma Juju. Ela e o esposo afirmam que a facilidade na obtenção do crédito e a praticidade facilitaram muito em estimulá-los a tocar o negócio para frente. “É necessário que os bancos públicos disponibilizem linhas de crédito com juros mais baixos para quem quer empreender. Dessa forma, geramos empregos e pagamos impostos”, conta Jefferson.

 

Graças à Juju Magazine, a vida da família de Gilcilane hoje é melhor. “Conseguimos realizar alguns sonhos, como trocar de carro, reformar a casa e mudar o colégio dos filhos. E continuamos a usar o Crediamigo. Já realizamos 15 empréstimos desde a primeira vez”, comenta a empresária, que hoje fornece confecções para outras sacoleiras e também para lojistas. "Tudo feito com foco e determinação”, conclui.

 

 

Hoje Juju atende a outras sacoleiras e lojistas de Teresina

 

Crediamigo cresce 15% no Piauí em 2020

 

O Crediamigo Banco do Nordeste, maior programa de microfinança urbana da América do Sul, superou, na posição do último dia 18 de novembro, desembolsos no valor de R$ 10 bilhões. O montante equivale a 3,7 milhões de operações que beneficiaram microempreendedores dos nove estados da Região e do norte de Minas Gerais e do Espírito Santo, área de atuação do BNB.

 

Apesar dos desafios e das restrições em função da crise sanitária que afeta o país desde março deste ano, a performance do Crediamigo do Banco do Nordeste, em termos de valores, registrou incremento de 14,7%, em relação a igual período do ano passado, quando o programa desembolsou R$ 8,7 bilhões.

 

Os desembolsos, no Estado do Piauí, alcançaram mais de R$ 1 bilhão para o total de 404 mil operações, o que representa, em termos de valores, acréscimo de 15,6% em comparação ao mesmo período de 2019, quando foram desembolsados R$ 940 milhões.

 

Segundo o superintendente de Microfinança e Agricultura Familiar do BNB, Antônio Jorge Pontes Guimarães, “a vitalidade do Crediamigo como impulsionador da economia e da geração de emprego e renda entre microempreendedores constitui exemplo relevante de como superar dificuldades e manter um ambiente positivo de crença na recuperação da economia”.

 

Criado em 1998, o Crediamigo do Banco do Nordeste já beneficiou mais de 2 milhões de empreendedores por meio de crédito orientado. O programa financia capital de giro e investimento para micro e pequenos empreendedores com valores de até R$ 21 mil, contemplando créditos individuais ou em grupo.

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINDEKDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Mais de Carreira & Gestão Pública