Artigos & Colunas

Câmbio

Por que você deveria pensar em investir no exterior

Mesmo sendo brasileiro e nunca viajando para o exterior, você deveria diversificar os seus investimentos em outros países, sobretudo nos EUA

 

 

 
 

Em 31/01/2020, quando o mundo olhava para o surto de coronavírus que, até então, restringia-se à China, os portais de notícias informaram o seguinte: “o dólar comercial voltou a subir e encerrou a última sessão do mês a R$ 4,286 na venda. Com a alta de 0,63% registrada hoje, a moeda americana renova o recorde e acumula valorização de 6,8% frente ao real no ano. Esta é a maior alta percentual para um mês de janeiro desde 2010”.[1]

 

Hoje, 21/10/2020, o dólar está cotado em R$ 5,613, valor impensável no início do ano, até mesmo para o Ministro da Economia, Paulo Guedes, que afirmou em março/2020 que a moeda americana somente atingiria o valor de R$5,00 “se fizer muita besteira”[2] .

 

Mas o que isso tem a ver com o leitor desta coluna, que mora no Brasil e tem suas despesas em reais? Como esse aumento do dólar afeta o seu custo de vida?

 

Vou dar dois exemplos para você refletir.

 

O pão que você compra na padaria é feito com trigo. E “o trigo é um dos poucos produtos agrícolas em que o Brasil não é autossuficiente, pois depende do produto importado para suprir a demanda interna (...).  Segundo a Conab, o Brasil importará 7,3 milhões de toneladas neste ano, diferença entre o consumo e a produção interna”[3]. Ou seja, o aumento do dólar leva ao aumento do trigo que eleva o preço do pão.

 

A gasolina que você coloca no seu carro tem como matéria-prima o petróleo, cujo barril é negociado em dólar. Logo, o aumento do dólar leva ao aumento do petróleo, o que faz o preço da gasolina subir.

 

Esses exemplos bem simplificados mostram que o brasileiro tem sim muitas despesas diretamente relacionadas com o dólar. Então é razoável pensar em ter uma parte do seu patrimônio gerando receita também em dólar, concorda?

 

Nesse sentido, por que não começar a diversificar seus investimentos no exterior, mais especificamente nos Estados Unidos?

 

Isso é mais simples e mais barato do que parece. No meu canal do YouTube eu explico, detalhadamente, como você pode começar a investir nos EUA, com valores acessíveis e mesmo sem saber falar inglês.

 

Veja o vídeo que foi dividido em duas partes:

 

- Link parte 01: https://youtu.be/l6bkf6l5HHw

 

- Link parte 02: https://youtu.be/zAJbT6k1X90

 

Na primeira parte eu falo um pouco mais sobre a importância de investir no exterior, mostro qual a corretora utilizei (plataforma em português) e explico como fazer o câmbio (conversão do real para dólar).

 

Na segunda parte eu mostro qual o meu primeiro investimento no exterior; faço o investimento, na prática.

 

E se você estranhou o fato de até agora eu não ter mencionado os fundos imobiliários, adianto que tal investimento foi relacionado com os “FIIs americanos”, os REITS, sobre os quais, inclusive, já escrevi aqui na coluna. Reveja: https://www.pinegocios.com.br/noticia/334/Breves-consideracoes-sobre-REITs

 

Fonte: João Ricardo Imperes Lira

Mais de Artigos & Colunas