Indústria

Energia limpa

Piauí já possui 1.519 unidades produtoras independentes de energia solar

A economia usando a energia limpa chega a 95%, com retorno de investimento em até 3 anos

 
Para instalar o sistema é necessário um contrato demanda para verificar a viabilidade do sistema (Foto: Secima)

 Para instalar o sistema é necessário um contrato demanda para verificar a viabilidade do sistema (Foto: Secima)

 
 

É crescente no Piauí a quantidade de empreendimentos que adotam o sistema de energia solar (o chamado gerador fotovoltaico on-grid). E não é por acaso. O investimento tem garantia de economia e eficiência energética, além do retorno total do investimento num prazo de até três anos. De acordo com dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Piauí possui atualmente 1.519 unidades produtoras de energia solar e 1.998 que usam créditos. A potência gerada no estado é de 21.626,85 KW (consulta realizada em 17/10/2019).

 

Graças a mudanças nas regras no setor de energia, em 2012, o consumidor hoje pode escolher de onde vem a sua eletriciade. Assim, o que ele produz hoje é interligado ao sistema elétrico, fazendo com que ele obtenha um crédito a ser abatido na conta de energia.

 

Num período de 25 anos, que é o prazo de vida útil dos equipamentos adquiridos para viabilizar o sistema, a economia em números chega a ser surpreendente. Um sistema que produz cerca de 600 kWh/mês, e prevê um investimento de R$ 21.564,00 - considerando o aumento de tarifa energética de 10% ao ano - no final de 25 anos, proporcionará uma economia total de R$ 681.594,21, conforme simulação da empresa GridSolaris, que atua no mercado piauiense.

 

Exemplo de simulação de como será a economia em 25 anos (Reprodução/Infografia)

 

Opções de financiamento não faltam no mercado. É possível financiamento direto com as empresas prestadoras do serviço, assim como em instituições financeiras, que dividem as parcelas em até 60 meses, com taxas de juros bem reduzidas.

 

Outro atrativo é o sistema de crédito, também conhecido como autoconsumo remoto, onde o excesso da produção é dado à outra unidade consumidora dentro o mesmo estado (com mesmo CPF ou CNPJ). “Uma empresa com necessidade de 1 mil kWh chega investir cerca de R$ 85 mil. A média hoje, no Piauí, é de investimentos em torno de R$ 35 mil”, observa Maicon Alves, engenheiro eletricista da GridSolaris.

 

Economia chega a 95% na conta de energia (Reprodução)

 

Para instalar o sistema é necessário um contrato demanda para verificar a viabilidade do sistema. “Energia é igual a carro, existem diferentes marcas. Muitas vezes o cliente não tem noção e adquire um sistema com equipamentos de segunda linha”, alerta o engenheiro, acrescentando: “Quando se fala em energia solar eu sempre digo que tempo é dinheiro. Quanto mais rápido instala, mais rápido é o retorno ativo”.

 

O engenheiro eletricista Marco Melo, da ST Energia Solar, afirma que esse mercado cresceu muito no Piauí nos últimos anos. Ele estima que existam só em Teresina cerca de cem estabelecimentos que instalam energia solar. "A demanda aumentou tanto que precisamos terceirizar alguns serviços. E também vamos começar a fazer treinamentos para atender à procura", conta.

 

A própria ST Energia Solar é um exemplo desse crescimento. Existente, há três anos, viu disparar o atendimento. Hoje realiza uma média de 15 instalações por mês, contra três no início. O período do retorno do investimento colaborou para isso. "Em 2012, a taxa de payback (retorno) era de 7 anos. Hoje, caiu para três, e a tendência é cair mais ainda", conclui.

 

Marco Melo, da ST Energia, teve que tercerizar serviços para atender à demanda (Foto: Piauí Negócios)

 

Leia mais

Panificadora de Piripiri economiza R$ 7 mil por mês ao usar energia solar

 

Mais de Indústria