Carreira & Gestão Pública

Desempenho

Taxa de sobrevivência de empresas do Piauí é a maior do Nordeste

Índice calculado pelo IBGE chegou a 84%, o que significa 37,5 mil empresas ativas

 
 A taxa de entrada de novos negócios no mercado piauiense foi maior que a de saída (Foto: Governo do Piauí)

  A taxa de entrada de novos negócios no mercado piauiense foi maior que a de saída (Foto: Governo do Piauí)

 
 

A taxa de sobrevivência das empresas ativas no Piauí foi de 84% em 2017, a maior do Nordeste, cuja média foi de 83,1%. O número significa 37.501 empresas no Estado. A taxa de entrada de novos negócios no mercado piauiense foi de 16% e a de saída, 13,6%. Com isso, o saldo de empresas foi positivo (mais 1.052 unidades).

 

Estes são alguns dos destaques do estudo Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo 2017, realizado pelo IBGE. A pesquisa analisa a dinâmica empresarial através de indicadores de entrada, saída, reentrada e sobrevivência das empresas no mercado, pessoal ocupado assalariado, estatísticas das empresas de alto crescimento e gazelas (empresas de alto com faixa de idade entre três e cinco anos no ano de referência), além de indicadores relativos às unidades locais das empresas e atividades.

 

No Brasil, a taxa de sobrevivência das empresas ativas foi de 84,8%, o que representa 3,8 milhões de empresas. Já a taxa de entrada ficou em 15,2% e a de saída, 15,7%. Com isso, o saldo de empresas foi negativo (menos 22,9 mil).

 

Eletricidade e gás foi a atividade que apresentou a maior taxa de entrada (23,3%), enquanto construção registrou a maior taxa de saída (20,8%).

Fonte: Agência IBGE de Notícias

Mais de Carreira & Gestão Pública