Carreira & Gestão Pública

Coronavírus

Caixa oferece crédito às empresas, com carência de até um ano

Cerca de 100 mil pequenos negócios podem ser beneficiados no Piauí

 
Banco vai oferecer empréstimos com juros a partir de 1,19% ao mês (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 Banco vai oferecer empréstimos com juros a partir de 1,19% ao mês (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

 
 

O Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, Sebrae, e a Caixa Econômica Federal, CEF, vão liberar empréstimos com carência de até um ano e juros 40% menores do que pratica o banco, pra atender empresas impactadas por conta do novo coronavírus. Serão disponibilizados R$ 7,5 bilhões para microempreendedores individuais (MEI), micro e pequenos negócios em todo o Brasil.  O Sebrae calcula que 100 mil empresários poderão ser beneficiados no Piauí.

 

O acordo entre o Sebrae e a CEF foi assinado nessa segunda-feira (20) e é um desdobramento da Medida Provisória 932 que estabeleceu, por um período de três meses, que 50% da arrecadação do Sebrae será destinada a fortalecer o do Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe). Além da carência de até um ano, o prazo de pagamento será de 24 a 36 meses.

 

CONDIÇÕES NEGOCIAIS DO CRÉDITO ESPECIAL

 

CRÉDITO ESPECIAL PARA CAPITAL DE GIRO

PORTE DA EMPRESA

VALOR MÁXIMO POR CNPJ

CARÊNCIA

PRAZO DE PAGAMENTO APÓS CARÊNCIA

TAXA DE JUROS

MEI

Até 12,5 mil

9 meses

24 meses

1,59% a.m

Microempresa

Até 75 mil

12 meses

30 meses

1,39% a.m

Empresa de Pequeno Porte

Até 125 mil

12 meses

36 meses

1,19% a.m

 

“Levantamento recente do Sebrae apontou que cerca de 58% dos pequenos negócios do Piauí precisarão de empréstimos para se manter no mercado sem gerar demissões. Nesse sentido, o acordo com a Caixa pode beneficiar esses empreendimentos”, comenta o diretor superintendente do Sebrae no Piauí, Mário Lacerda.

 

A linha de crédito especial para capital de giro estará disponível para empresas de todos os setores: indústria (inclusive agroindustriais), comércio e serviços. Os empreendimentos devem ter pelo menos doze meses de faturamento e não haver nenhuma restrição nem de CPF nem de CNPJ.

 

“Uma das principais barreiras para o acesso ao crédito são as garantias exigidas pelas instituições financeiras. E o Fampe, que é administrado pelo Sebrae, vem justamente preencher essa lacuna. O fundo de aval funciona como um salvo-conduto, facilitando o acesso dos empreendedores a financiamentos para capital de giro, tão necessários nesse momento de crise”, pontua o presidente do Sebrae Nacional, Carlos Melles.

 

Ainda segundo Melles, esse acordo com a Caixa é o início das operações do fundo de aval, mas o Sebrae buscará parcerias com outros bancos para ampliar ainda mais o crédito para os pequenos negócios, podendo chegar a até R$ 12 bilhões em operações.

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

 

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

                                           

TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

 

LINDEKDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

 

Fonte: Agência Sebrae

Mais de Carreira & Gestão Pública