https://organik.tebingtinggikota.go.id/produk/luar/https://organik.tebingtinggikota.go.id/pulsa/https://sentuhandukcapil.tebingtinggikota.go.id/luar/https://sso.umk.ac.id/public/jsonn/https://www.inovadoor.com.br/https://sso.umk.ac.id/public/spaces/https://sso.umk.ac.id/public/posts/https://sso.umk.ac.id/public/document/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/toto-slot/https://mawapres.iainptk.ac.id/wp-content/apps/https://sso.umk.ac.id/public/plugin/https://sso.umk.ac.id/public/amp/https://159.203.61.47/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/config/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/jpg/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/tmb/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/kmb/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/amp/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/restore/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/vendor/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/file/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/vps-root/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/files/https://sso.umk.ac.id/public/analog/https://sso.umk.ac.id/public/etc/https://sso.umk.ac.id/public/bulk/https://138.197.28.154/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/json/https://dema.iainptk.ac.id/scholar/https://wonosari.bondowosokab.go.id/wp-content/upgrade/https://untagsmg.ac.id/draft/https://sso.umk.ac.id/public/web/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/data/https://sso.umk.ac.id/public/right/https://sso.umk.ac.id/public/assets/https://dpmptsp.pulangpisaukab.go.id/themess/https://dpmptsp.pulangpisaukab.go.id/wp-content/luar/https://sso.umk.ac.id/public/tmp/https://sso.umk.ac.id/public/font/https://dema.iainptk.ac.id/assets/https://dema.iainptk.ac.id/root/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/assets/https://dema.iainptk.ac.id/wp-content/nc_plugin/https://gem.araneo.co.id/https://mawapres.iainptk.ac.id/mp/https://152.42.212.40/https://mawapres.iainptk.ac.id/wp-content/nc_plugin/https://mawapres.iainptk.ac.id/wp-content/pages/https://admpublik.fisip.ulm.ac.id/wp-content/luar/https://env.itb.ac.id/wp-content/pul/https://env.itb.ac.id/wp-content/luar/https://env.itb.ac.id/vendor/https://sikerja.bondowosokab.go.id/font/https://pmb.kspsb.id/gemilang77/https://pmb.kspsb.id/merpati77/https://disporpar.pringsewukab.go.id/wp-content/filess/https://pmnaker.singkawangkota.go.id/filess/https://triathlonshopusa.com/https://websitenuri77.blog.fc2.com/

Startups

Inovação

Como a Carnaúba Valley se tornou a principal porta-voz das startups no Piauí

Comunidade completa cinco anos valorizando empresas inovadoras locais e fortalecendo o empreendedorismo criativo no estado

 
 
Comunidade conta com mais de 200 participantes de 45 startups (Fotos: divulgação)

 Comunidade conta com mais de 200 participantes de 45 startups (Fotos: divulgação)

 
 

Há cinco anos surgia em Parnaíba, litoral do Piauí, a Carnaúba Valley: uma comunidade que se tornou a principal porta-voz das startups no estado. O movimento, que hoje é um epicentro da inovação e empreendedorismo digital, nasceu da necessidade de resgatar potenciais perdidos após o fechamento, em 2017, do Polo de Desenvolvimento Tecnológico (Delta TICs), considerado o primeiro espaço voltado ao desenvolvimento de inovação tecnológica do Piauí.

Segundo o fundador e atual líder da Carnaúba Valley, professor da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) Rodrigo Baluz, o principal objetivo da comunidade é fomentar o desenvolvimento econômico, social e cultural da região, transformando pessoas e promovendo o avanço tecnológico e criativo.

“Nossa missão é ajudar os negócios a crescerem no Piauí, sempre visando aquilo que para nós é primordial. Nós impactamos pessoas e ajudamos a nossa comunidade, abrindo oportunidades para jovens trabalharem, sonharem e construírem seus próprios negócios”, afirma Baluz.

Rodrigo Baluz, líder da Carnaúba Valley

O projeto, que começou com apenas uma startup, hoje conta 47 empresas inovadoras (veja figura), além de 262 integrantes, 13 corporates e oito instituições. A comunidade, reconhecida pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups), desenvolveu ainda o Prêmio Carnaúba Valley, que visa reconhecer e incentivar os atores que contribuem com o desenvolvimento da inovação no Piauí.

“O prêmio da comunidade não promove somente Parnaíba, mas todo o estado. Pois, através dele, nós vemos o potencial de desenvolvimento presente no Piauí. É claro que buscamos desenvolver a região norte, mas isso reflete diretamente no desenvolvimento socioeconômico de todo o estado”, comenta Rodrigo Baluz.

Atualmente, existem pelo menos cinco comunidades de startups no estado, tais como a Cajuína Valley, com atuação em Teresina, e a Valley do Mel, em Picos. O que explica, então, o protagonismo da Carnaúba Valley no ambiente de inovação do Piauí? A comunidade é considerada a maior do estado e aquela que apresenta o maior número de iniciativas.

Para o presidente do Centro Unificado de Inovação Aplicada (CUIA) e coordenador do Piauí Original Hub, Bringel Filho, a união é a essência da comunidade e uma das principais razões pelas quais ela chegou tão longe.

“A Carnaúba Valley foi construída com base na união de empresários locais de tecnologia, que já acreditavam no potencial de crescimento de seus negócios por meio da inovação tecnológica. Com o apoio e a articulação dos líderes, eles conseguiram estabelecer parcerias com o governo estadual e fundar uma iniciativa pioneira que representasse um polo de tecnologia e inovação do Piauí”, disse.

Bringel Filho, presidente do CUIA e coordenador do Piauí Original Hub 

 

Outro fator que contribui para o seu avanço é o estímulo à cultura empreendedora. A Carnaúba Valley, através de capacitações e mentorias, incentiva empresários e jovens empreendedores a continuarem. “Eles reforçam o potencial empreendedor e estimulam outros empresários a seguir o mesmo caminho”, acrescenta Bringel Filho.

A localização da comunidade também é algo favorável. Parnaíba, por ser uma cidade litorânea e turística, atrai pessoas de todo o mundo. Isso, além de fortalecer uma mentalidade global entre os empreendedores locais, permite que eles ampliem sua mentalidade de mercado e desenvolvam negócios com alcance nacional ou até internacional.

Além disso, a chegada de investimentos do Governo do Estado, como o Porto Piauí e a Zona de Processamento e Exportação (ZPE) com um hub de tecnologia, contribuíram para criar um terreno favorável ao surgimento de novos negócios, especialmente aqueles voltados à inovação e tecnologia.

“O investimento do governo em Parnaíba, através da criação do The Export Hub na ZPE, proporcionou um ambiente para que startups pudessem se desenvolver em sinergia, permitindo com que houvesse um maior apoio das políticas públicas de fomento à inovação”, enfatiza Bringel.

The Export Hub, ligado à Investe Piauí, foi inaugurado em 2022

 

Como já reforçado, a colaboração entre os atores do ecossistema de inovação faz parte dos principais valores da Carnaúba Valley. A comunidade tem parceria com o Sebrae Piauí e com instituições como a Universidade Federal do Delta do Parnaíba (UFDPar), além de empresas diversas. 

Essa articulação também é fundamental para o crescimento da comunidade. É o que afirma o gerente da Unidade de Inovação do Sebrae-PI, Samuel Moraes. “O Carnaúba Valley hoje é uma das mais importantes comunidades do ecossistema de startups. Eles são muito engajados e fazem valer esse conceito de comunidade. Há a presença de interlocutores do governo, empresas e universidades, e todos tem um plano de ação coletivo para evolução do setor”, ressalta.

Samuel Moraes reforça que o principal diferencial da comunidade parnaibana é, justamente, o envolvimento das pessoas que a compõem. “Eles realizam um trabalho voluntário muito forte pela comunidade, não apenas pensando no crescimento das empresas, mas em contribuir com a sociedade”.

Samuel Moraes, gerente da Unidade de Inovação do Sebrae-PI

 

Startups frisam a importância da  Carnaúba Valley para êxito nos negócios

Ao encorajar a experimentação de novas ideias, uma comunidade de startups pode ser um catalisador de mudanças na vida das pessoas. Em entrevista ao Piauí Negócios, Ana Cláudia Freitas, CEO da startup IHealth, conta que a Carnaúba Valley foi, essencialmente, o que a levou a desenvolver a sua própria empresa. A empresária conheceu a comunidade em 2022 durante um evento.

“Até então, eu nunca tinha pensado em trabalhar com tecnologia e inovação. A partir desse evento, eu passei a ter mais contato com a comunidade e fui muito bem acolhida por todas as startups que já integravam o grupo. A comunidade promove reuniões, troca de ideias, eventos, cursos e divulga editais de fomento e de aceleração”, destaca.

A startup de Ana é uma ‘health tech’, ou seja, uma empresa que utiliza tecnologia para oferecer soluções inovadoras no campo da saúde. Através de um dos editais divulgados pela comunidade, o Centelha Piauí, a empreendedora conseguiu criar ainda em agosto de 2022 o seu “Mínimo Produto Viável (MVP)”, que é a versão inicial de um produto com o mínimo de recursos necessários para ser lançado e testado no mercado.

Ana Freitas, CEO da IHealth

 

"Hoje estamos no mercado, após um ano de investimento do governo. A Carnaúba Valley nos forneceu toda a base, visão e orientação necessárias. Sou muito grata por fazer parte desta comunidade. Para mim, a Carnaúba Valley é mais do que uma simples comunidade. É algo que nos motiva, incentiva e apoia desde pequenas até grandes empresas”, disse Ana Cláudia.

Outro que viu na comunidade parnaibana uma oportunidade de aprendizado e crescimento foi Sebastião Galeno, desenvolvedor de software e CEO da Programe.io, uma plataforma que oferece cursos e mentorias na área de programação. A sua jornada com a Carnaúba Valley teve início no final de 2018, quando ele retornou de uma temporada no exterior e se deparou com uma movimentação voltada à inovação em Parnaíba.

Galeno foi um dos primeiros participantes dos encontros presenciais realizados por Rodrigo Baluz, como o StarTalk. “Esses encontros eram momentos de experiências e aprendizados. Falávamos de empresas, negócios, inovação e tecnologia. A ideia não era somente agregar valor, mas também sermos vistos e gerar interesse nas pessoas em quererem participar do movimento que estava sendo formado”, comenta Sebastião.

Sebastião Galeno e Ely Bezerra Jr. fundadores da Programe.io, com Rodrigo Baluz

 

Através da comunidade, Sebastião teve acesso a treinamentos e orientação que ajudaram a amadurecer suas ideias de negócio e abrir sua primeira empresa. Com o apoio da Carnaúba Valley, ele participou de editais de financiamento, se conectou com seu atual sócio, Ely Bezerra Jr, e expandiu os horizontes da Programe.io.

“O Rodrigo Baluz e os demais participantes me incentivaram a participar de vários editais. A partir disso eu consegui ter uma visão mais ampla do meu negócio e colocar as ideias em prática, pois antes elas ficavam somente no papel. Passei a entender melhor qual direção eu deveria seguir e quais etapas iria passar para ter lucro. Dentro dessa comunidade eu consegui evoluir, abrir o meu primeiro CPNJ, amadurecer meu negócio e faturar”, conta ele.

Hoje, a Programe.io atende alunos em todo o Brasil e no exterior. Ele garante ser grato por todo o direcionamento que recebeu dentro da comunidade. “Estamos em fase de expansão e logo iremos assinar um contrato com o Governo do Estado, onde iremos atender mais de 20 mil alunos do ensino médio. É um grande passo. Todos esses resultados só puderam ser alcançados por conta da ajuda e orientação que recebi da Carnaúba Valley. Então, devo à comunidade e ao professor Baluz toda essa gratidão”, finaliza Galeno.

 

Apoio do Governo aumenta possibilidade de expansão da comunidade

Nos últimos cinco anos, o ecossistema de inovação em Parnaíba vem passando por diversas transformações. Para o professor Baluz, a virada de chave aconteceu com a criação da comunidade.

"Parnaíba era e ainda é um ambiente muito propício para ser explorado. Após o fechamento do Polo de Tecnologia no início da gestão do prefeito Mão Santa, a Carnaúba Valley chegou para mudar o cenário. Passamos a engajar um movimento voltado à inovação e à cultura empreendedora. Agora, com os investimentos do governo na ZPE, temos ainda mais possibilidades de expandir o ecossistema de inovação local", afirma Rodrigo Baluz.

 

Uma das conquistas mais importantes foi a implantação do hub de inovação, o The Export Hub, localizado dentro da ZPE, que supriu a necessidade que os jovens empreendedores sentiam de um espaço físico para desenvolver suas ideias. “O jovem precisa respirar aquele ambiente de inovação. Eu sempre fui defensor de que nós precisávamos de um espaço físico e hoje temos”, enfatiza o professor.

Além disso, a implementação do programa de aceleração do governo, o Startup Piauí, e a reformulação da plataforma digital da Junta Comercial do Estado do Piauí (Jucepi), que simplificou o processo de abertura de empresas, contribuíram para a melhoria do ecossistema no estado.

 

Fomento e crédito se tornam necessários para o crescimento das startups

No entanto, ainda há desafios a serem enfrentados. Um ponto destacado por Baluz é a necessidade de uma política de fomento para startups já consolidadas, que ofereça linhas de crédito específicas às demandas desse segmento. “Quando uma startup cresce e precisa de mais dinheiro para expandir para outras cidades, ela pode procurar um banco. Mas os bancos geralmente pedem garantias, como imóveis. O problema é que startups não têm essas garantias. Elas são empresas novas e pequenas”, explica o professor.

Olhando para o futuro, a comunidade Carnaúba Valley tem uma série de projetos em mente. Isso inclui a realização de eventos mensais para capacitar os empreendedores, a promoção de um grande evento na área de startups em parceria com outras entidades, o aprimoramento do Prêmio Carnaúba Valley e a implementação de programas para fomentar o empreendedorismo nas universidades locais.

“Nós queremos unir esforços em vez de trabalhar separadamente. É importante que todos os atores envolvidos no ecossistema de inovação de Parnaíba se comuniquem e colaborem”, conclui Baluz.

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

Mais de Startups