Pesquisas

Fazenda

Piauí foi 2º estado que mais investiu em 2019, segundo Tesouro Nacional

Resultado surpreendeu até o próprio Governo do Estado, diante das dificuldades enfrentadas

 
Site do Tesouro Nacional (Reprodução)

 Site do Tesouro Nacional (Reprodução)

 
 

O Piauí foi o 2º estado que mais investiu de janeiro a outubro de 2019, segundo dados levantados pela Secretaria do Tesouro Nacional (STN). De acordo com a Secretaria de Fazenda do Estado do Piauí (Sefaz-PI), até outubro de 2019 o Estado já havia empenhado cerca de R$ 475 milhões em investimentos, o equivalente a 6% da receita total do Estado no mesmo período.

 

O estado que mais investiu no mesmo período, segundo o levantamento da STN, foi o Ceará, com 7%. Empatados com o Piauí estão Mato Grosso do Sul, Espirito Santo, Bahia e Rio Grande do Norte. Estados como São Paulo, Santa Catarina e Pernambuco investiram apenas 3% em 2019. Rio Grande do Sul, Rio de janeiro e Minas Gerais não passaram de 1%.

 

 

O desempenho do Piauí surpreendeu até mesmo o próprio Governo, que enfrentou 2019 com dificuldades. “É um resultado que nos surpreendeu, pois foi um ano de muito ajuste fiscal, onde se reduziu muito o custeio da máquina”, afirmou o secretário da Fazenda, Rafael Fonteles, ao programa Bom Dia News, da TV O DIA, na manhã desta segunda-feira (13).

 

Os investimentos foram possíveis devido à utilização de recursos oriundos de operações de crédito. Elas foram responsáveis por financiar 61% do total investido, que foi direcionado principalmente para as áreas de transporte e urbanismo, que somadas alcançara R$ 202 milhões.

 

Rafael Fonteles ressaltou que os empréstimos externos e internos realizados pelo Piauí em 2019 são necessários para desenvolver o Estado. “É melhor fazer as obras antes com o dinheiro do empréstimo do que esperar o Estado fazer uma poupança para poder investir, pois o que Governo arrecada precisa gastar com a folha e com o custeio da máquina, sobrando muito pouco para investimentos”, afirmou o gestor.

 

Para 2020, Rafael Fonteles prevê que o Estado seja o primeiro colocado. “Devemos, graças a operações de crédito, investir mais de R$ 1 bilhão, podendo chegar a R$ 1,5 bilhão. Isso equivalerá a 10% da receita prevista de 2020, que será entre R$ 9 bilhões e R$ 10 bilhões”, finalizou.

 

Siga o Piauí Negócios nas redes sociais

FACEBOOK

👉🏾 https://www.facebook.com/pinegocios

INSTAGRAM

👉🏾 https://www.instagram.com/pinegocios

 TWITTER  

👉🏾 https://twitter.com/@negociospiaui

LINkEDIN

👉🏾 https://www.linkedin.com/company/piauí-negócios/

Fonte: CCom/Governo do Piauí

Mais de Pesquisas